06/12/2017 Um olhar especial às pessoas com deficiência

De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), aproximadamente 10% da população mundial possui algum tipo de deficiência. E diante disso foi instituído no ano de 1992, pela própria ONU, o dia 03 de dezembro com o dia Internacional das Pessoas com Deficiência.

O Brasil tem tido grandes avanços na inclusão de pessoas com deficiência, a começar pela vasta legislação vigente. Cabe destacar a Constituição Federal (1988), a Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência (2006) e a Lei Brasileira de Inclusão (LBI) (2015).

A Copacol trata o assunto com muito respeito e acima de tudo com admiração, uma vez no seu quadro de colaboradores têm centenas de pessoas atuando nos diversos setores da Cooperativa, de forma igualitária com os demais colaboradores.

Para se candidatar a uma vaga, o PCD (Pessoa com Deficiência) se inscrever no site da Cooperativa, e participa do processo de seleção com os demais colaboradores, se ela se encaixar no perfil requisitado, posteriormente passará por uma avaliação do Sesmt (Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho), que irá avaliar as condições e em qual setor de trabalho a pessoa melhor se adapta.

Após a avaliação médica, já com o local de trabalho definido, a Copacol irá adequar o ambiente de trabalho de acordo com as condições do PCD, que exercerá suas funções em local adequado à sua deficiência.

A Copacol nos seus processos de contratação tem se mostrado sensível a essa causa e tem desenvolvido diversas ações no sentido que o dia 03 de dezembro seja lembrado todos os dias e uma dessas ações realizadas recentemente foi o Evento Superação.

Na sexta-feira dia 1º, a Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Cafelândia, expôs quadros pintados pelos alunos especiais e também outros produtos que são produzidos na escola da instituição.

De acordo com o Gerente de Gestão de Pessoas, Marcos Roberto Bueno Antunes, a Copacol tem em seu quadro de colaboradores um grande número de pessoas com deficiência, número esse que poderia ser ainda maior, mas diante da falta de profissionais capacitados na região, existe uma lacuna a ser preenchida. “Oferecemos todas as condições necessárias para que o PCD possa exercer suas funções, nós nos adaptamos as estes profissionais para que possam desenvolver seus trabalhos de forma produtiva e de igual para igual aos demais colaboradores”, destaca o Gerente.

Mateus de Lima, empacotador há cinco anos no Copacol Supermercados, mesmo com deficiência intelectual, diz que gosta do que faz e acima de tudo do modo com que é tratado por todos, com respeito e admiração, por isso agradece a Copacol pela oportunidade.

Já a também empacotodora, Fernanda de Sá Ribas, que tem dificuldade na coordenação motora, está há três no mesmo setor, mas não vê nenhum problema na execução de seus trabalhos e assim como o seu colega Mateus, também diz que está satisfeita pela atenção e reconhecimento de todos, mas especial da empresa.

“Estou aqui há quatro anos, adoro o que faço, recebo as orientações do que devo ou não fazer e cumpro as minhas tarefas, mas acima tudo estou feliz por ter esta oportunidade. Sou analfabeta e frequento a escola da Apae, mas quero ir além, quero crescer e galgar outras funções na Cooperativa”, diz motivada a empacotadora do Copacol Supermercados, Ijanir Gomes de Souza.