15/03/2017 Copacol intensifica orientação para evitar a Influenza Aviária

Desde janeiro, a Copacol vem realizando ações de orientação e prevenção em toda a sua área de abrangência, nas propriedades rurais, abatedouro, industrias, fábricas e todas as estruturas que fazem parte do processo de produção avícola.

Depois de confirmada a doença no Chile, país próximo ao Brasil, a preocupação aumentou e os trabalhos das equipes também. Por isso, a Copacol está promovendo importantes reuniões os colaboradores da Cooperativa em todas as unidades, além de distribuir panfletos com informações orientativas em pontos estratégicos.

“O nosso objetivo é alertar a todos sobre as questões de biosseguridade, as novas informações sobre a Influenza, as consequências e os prejuízos que esta doença pode causar. É um momento que exige muita atenção e colaboração dos associados, colaboradores e toda a comunidade para que o país continue livre da Influenza”, destacou o gerente de integração de aves, Douglas da Silva.

A Copacol disponibiliza uma equipe de técnicos e médicos veterinários capacitados para orientar qualquer pessoa sobre a Influenza Aviária e quais as ações importantes para evitar a entrada da doença no país ou sua disseminação.

As equipes estão em todas as unidades da Cooperativa, em Cafelândia, Central Santa Cruz, Nova Aurora, Palmitópolis, Iracema do Oeste, Jesúitas, Carajá, Formosa do Oeste, Goioerê e Universo.

Saiba mais sobre a Influenza Aviária

Mais conhecida como a ‘gripe aviária’, a Influenza é uma doença grave causada por um vírus contagioso, que pode ser transmitida a todas as espécies de aves, suínos e aos seres humanos. A doença reflete negativamente na atividade avícola por ocasionar grande perdas em toda a sua cadeia produtiva.

Como a doença é transmitida?

O vírus se propaga a partir do contato com animais infectados, suas secreções ou excreções, assim como por equipamentos, vestimentas, ração, água ou outros objetos contaminados. Os seres humanos também são transmissores do vírus e por isso é necessária maior atenção por parte de todos.

Conheça os sinais e sintomas da doença

As caraterísticas são febre, diarreia, desidratação, presença de áreas de coloração avermelhadas ou roxas nas pernas, cristas e barbela, depressão, apatia, incoordenação motora, dificuldade respiratória, inchaço na cabeça, crista e barbela, tosse e espirros, além de causar a queda na produção de ovos, na sua qualidade e formato, e altas mortalidades das aves.

Saiba como pode prevenir a doença

A orientação é evitar viajar para países com registros da doença e caso seja necessário, fazer o vazio sanitário por pelo menos 21 dias, evitando transportar objetos, alimentos e produtos oriundos dos países de origem.

Além disso, as visitas em qualquer tipo de instalação de criação de aves, industrias e fábricas estão proibidas, sendo permitida apenas por pessoas ligadas as atividades. O contato com outros animais silvestres e trocas de equipamentos entre produtores também está proibido.

Também deve ser feita a desinfecção de veículos e equipamentos para entrar nas propriedades rurais que tenham a integração, adotando práticas de higiene pessoal antes de qualquer contato com as aves ou seu ambiente.