16/07/2020 Copacol amplia sistema de abate de peixes com aquisição de frigorífico

Pioneira no sistema integrado de produção de peixes, a Copacol acaba de adquirir o frigorífico da Tilápia Pisces, em Toledo, Oeste do Paraná, com o propósito de fomentar o desenvolvimento regional por meio da diversificação de renda, aumentar a participação de vendas e proporcionar oportunidades aos cooperados. O investimento ultrapassa os R$ 60 milhões.

A ampliação da estrutura voltada à piscicultura atende a missão de aplicar ações de cooperação ao agronegócio, buscando a excelência dos produtos e serviços. A instalação fica em uma área de 57 mil metros quadrados na estrada rural de acesso ao Distrito de São Luís do Oeste e passa a ser administrada pela Cooperativa. “Decidimos pelo investimento pensando em gerar aos nossos cooperados mais oportunidades de negócios para que possamos aumentar nossa participação na atividade. A piscicultura vem ganhando espaço entre os consumidores e a integração do peixe, implantada pela Copacol, garante maior rendimento ao nosso produtor, que tem a comercialização garantida no fim do processo”, explica Valter Pitol, presidente da Copacol.

O sócio proprietário do frigorífico da Tilápia Pisces, Sidney Godinho, esteve afrente das negociações com a Cooperativa. A unidade industrial de peixes em Toledo em funcionamento há 13 anos gera entorno de 250 empregos diretos – o quadro atual será mantido pela Copacol. A capacidade de abate é de 40 mil tilápias/dia.

As atividades passam a ser automaticamente desempenhadas pela Copacol. Até que todo o processo administrativo esteja concluído, a marca Tilápia Pisces será mantida – incluindo vendas aos consumidores e compras com fornecedores. Logo em seguida haverá implantação das embalagens com a marca Tilápias Copacol.

AMPLIAÇÃO DE ABATE
Com o maior volume de abate de tilápia da América do Sul, a Unidade Industrial de Peixe em Nova Aurora abate 140 mil tilápias/dia. Ano passado foram abatidos 42 milhões de peixes, totalizando 14,9 mil toneladas. A estrutura atingiu a capacidade máxima, por isso, a aquisição do novo frigorífico foi consolidada. “Com a compra da estrutura teremos mais produtos para atender os clientes internos e também desenvolver o mercado internacional de tilápia”, explica Valdemir Paulino dos Santos, superintendente comercial Copacol.

INTEGRAÇÃO
O modelo atual mantido no frigorífico em Toledo se diferencia do sistema de integração: os piscicultores investem capital de giro para compra dos alevinos e ração; já na Copacol o cooperado entra com a infraestrutura (a lâmina de água) e a mão de obra. Com a transação, a Cooperativa iniciará um mapeamento das propriedades rurais que fornecem a matéria-prima ao frigorífico disponibilizando a adesão ao atual sistema integrado Copacol para as próximas safras. “Estamos estruturando a implantação do sistema. Incialmente faremos visitas por meio dos nossos técnicos demonstrando as vantagens existentes no sistema integrado, onde realizamos a reprodução de alevinos, que passam para a fase de juvenis para depois chegar ao produtor na fase final – há uma verticalização do trabalho, incluindo o fornecimento da ração pela Cooperativa”, explica Irineu Dantes Peron, superintendente de produção Copacol.